PELA QUALIDADE NA INDÚSTRIA CERÂMICA

A Associação Nacional da Indústria Cerâmica (Anicer) baseia-se em dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para dimensionar seu universo de atuação: existem hoje no país mais de 6.900 produtores de cerâmica vermelha, dos quais 95% são micro e pequenas empresas (MPE). Este domínio maciço do mercado exige atenção. “Trabalhar em conformidade com normas e portarias é uma obrigação de qualquer fabricante, não apenas no nosso setor. Hoje esse procedimento deixou de ser somente obrigação e se tornou uma questão de sobrevivência. Quem não trabalhar dentro das normas e portarias, com qualidade comprovada, corre o sério risco de deixar de existir, como temos visto acontecer com algumas empresas. O mercado hoje busca a qualidade em tudo”, alerta Luis Lima, presidente da Anicer.

O material de má qualidade pode comprometer não só a credibilidade do fabricante, mas mantém a dos lojistas e dos profissionais do setor de construção que, eventualmente, orientem a escolha do cliente. Para ampliar o seu apoio a esta cadeia de fornecimento, o convênio entre a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) está disponibilizando, gratuitamente, uma coletânea de normas sobre cerâmica vermelha, que  inclui a ABNT NBR 15842:2010, com orientações para pequeno comércio.
Fonte: Net Ceramics www.netceramics.com.br